Abacate: as proezas deste alimento e o porquê de estar na moda

Das mais variadas receitas aos benefícios para a nossa saúde, o abacate tornou-se num dos alimentos mais requisitados dos últimos tempos, pela sua textura versátil e vantagens nutricionais. Ainda que tenha um alto valor calórico, é um das melhores apostas alimentares para prevenir as doenças cardiovasculares, controlar o colesterol e minimizar o risco cardíaco.

Composto por uma gordura do tipo monoinsaturado, a mesma que faz dispara o valor energético e que também está presente em alimentos como as nozes ou o amendoim. Esta gordura atua na diminuição do colesterol alto, que é um dos maiores riscos para doenças cardíacas, uma vez que concentra beta-sitosterol (um aliado à saúde cardiovascular que auxilia no tratamento da diabetes e prevenção de doenças). O abacate inclui ainda uma série de micronutrientes valiosos como o potássio e o magnésio, que atuam na defesa do coração e ainda nas defesas anti-inflamatórias.

Um alimento rico em vitaminas E e A, antioxidantes e capazes de combater os radicais livres (principais vilões do envelhecimento) que causam danos à pele. Alguns estudos relacionam ainda o abacate à prevenção do aparecimento de doenças como o cancro.

Para quem pratica desporto ou atividade física intensa, o abacate é um ótimo repositor de energia, pelo seu alto teor em gordura e fibra e, ainda, um baixo teor glicémico. É igualmente um alimento muito saciável e que se adapta a qualquer refeição do dia.

Uma vez que se trata de um alimento gorduroso com alto valor calórico, deve ser consumido de forma moderada. Para introduzi-lo na dieta, a recomendação é de ingerir uma porção de 100g por dia, equivalente a três colheres de sopa, de abacate. Sendo um alimento que oxida rapidamente, o restante que não for consumido de imediato deve ser bem acondicionado. Uma boa forma de o preservar é manter a semente e a polpa viradas para baixo e colocadas num prato, no frigorífico.

next post