O papel decisivo dos probióticos no nosso bem-estar geral

Os probióticos são micro-organismos vivos que vivem no intestino e que trazem sérios benefícios à nossa saúde, quando consumidos em quantidades adequadas. Quem nos explica melhor os benefícios dos probióticos é Hilária Machado, nutricionista do Fitness UP Trofa.

Mas afinal o que são probióticos? Trata-se de bactérias, portanto organismos vivos, que vivem no intestino e facilitam a digestão e a absorção de nutrientes, ajudando ainda a fortalecer o sistema imunitário. Como é sabido, o intestino é como se fosse o nosso segundo cérebro e cujo bom funcionamento tem implicações em diversas circunstâncias da nossa vida, que vão além das funções digestivas. A presença de probióticos ajuda a defender o organismo, pelo que a sua ausência ou défice pode significar a origem de vários incómodos ou até levar ao aparecimento de doenças.

Como funciona a flora intestinal?

Após o nascimento, o intestino começa a ser colonizado pelas primeiras bactérias – não soa bem, mas é algo que, na verdade, todos precisamos. E, ao longo da vida, são inúmeros os fatores que podem influenciar o equilíbrio da flora intestinal, tais como: idade, o tipo de alimentação que seguimos (link), consumo de álcool, hábitos de tabagismo, uso excessivo de antibióticos e elevados níveis de stress. E quando a flora intestinal está em desequilíbrio, o intestino acumula bactérias que não precisamos e que, ao invés de ajudarem o sistema imunitário, deixam o organismo suscetível a doenças.

Nesse sentido, os probióticos são excelentes aliados a combater estas bactérias nocivas, ao criar as boas de que tanto precisamos.

Principais benefícios dos probióticos:

Para uma melhor noção do quão importante é a existência de probióticos no nosso organismo, é importante atentarmos aos seguintes benefícios:

  • Combater e prevenir o aparecimento ou agravamento de doenças intestinais, nomeadamente colite, síndrome do cólon irritável, doença de Crohn e inflamação intestinal;
  • Combater determinadas doenças, como cancro, candidíase e infeção urinária.
  • Melhorar o processo de digestão;
  • Combater a azia;
  • Regular o trânsito intestinal, melhorando os casos de obstipação ou diarreia;
  • Aumentar a absorção de nutrientes, como por exemplo, vitamina B, cálcio e ferro;
  • Impedir a proliferação de bactérias más no intestino;
  • Prevenir alergias e intolerâncias alimentares;
  • Ajudar a melhorar o humor – tendo em conta a relação direta entre o equilíbrio da flora intestinal e o nosso estado de espírito, verificando-se uma diminuição de quadros de depressão e ansiedade.

Quando é que a toma de probióticos é recomendada?

Naturalmente, trata-se de aspeto que cada um deve discutir junto do seu médico de família ou com o profissional de saúde que habitualmente oacompanhada. Ainda assim, é de conhecimento geral que os probióticos ajudam a melhorar em casos de:

  • Distúrbios digestivos;
  • Problemas alérgicos;
  • Cáries dentárias e doença periodontal;
  • Cólicas do lactente;
  • Doença hepática.

Que alimentos funcionam como probióticos naturais?

Na natureza, os probióticos encontram-se em produtos fermentados, como:

  • Kombucha
  • Iogurte
  • Kefir
  • Coalhada
  • Tempeh
  • Pickles

Num mundo ideal, todos teríamos um organismo perfeito, com um intestino prolífico em probióticos. Porém, isso não acontece. Pelo que, a toma destes alimentos pode ter efeitos positivos para alguns, mas ser insuficiente para outros. Nesse sentido, os suplementos probióticos têm vindo a ganhar importância e podem ser considerados.

Os probióticos não têm contraindicações, pelo que podem ser tomados em qualquer fase da vida. Todavia, as quantidades recomendadas são variáveis, assim como a frequência da toma, pelo que é recomendável, mais uma vez, o aconselhamento junto de um profissional de saúde.

Falar de problemas do intestino é um assunto tabu: são muitas as pessoas que sofrem com os problemas decorrentes de níveis baixos de probióticos e com vergonha de falar nisso mesmo. Mas, se for o seu caso, pensa que resolver o problema irá fazer com que se sinta melhor a curto prazo e, com isso, melhorar a sua saúde geral.